sábado, janeiro 11, 2003


gente, esse é só para esclarecer que eu não tenho respondido os comentários como gostaria, e nem tenho deixado comentários nos blogs (todos que eu geralmente visito) por força das circunstâncias, tá? demora muito... vocês entendem, né? :o) mas estou sempre presente, lendo os comentários que vocês deixam aqui no bazar e visitando os meus blogs do coração (mais mais e todos os outros agregados... :o))) quinta-feira que vem estarei de volta em casa e aí vocês vão pedir pelamordedeus prá eu deixar vcs em paz!


essa vai, com carinho, em homenagem a um frequentador do bazar, que é meio louco mas é boa pessoa... :o)


"Os desapontamentos da vida são mais difíceis de encarar quando você não conhece nenhum palavrão." (calvin)

nada de novo acontece em paradeiro city... este sábado demorou exatos 1965 anos para passar... ainda bem que só faltam uns dois séculos para ele terminar...

o código civil entra em vigor hoje, viu? Isso vai me dar um trabalho... lembro de uma história que um professor contou, na faculdade. Um juiz já as beiras da aposentadoria compulsória, julgou uma causa pelo código de processo civil antigo, logo depois da reforma. aí o advogado foi conversar com ele, antes de recorrer, para que ele revisse a sentença... ele falou: não vou rever nada não, meu filho... o código mudou mas eu prefiro o velho...
p>

sexta-feira, janeiro 10, 2003


esse é para o jornalista cliente vip do bazar (com todo respeito, tá, lidiane? soube que você é ciumenta... :o))

** "Depois de algum tempo, a água corrente foi instalada no cemitério para satisfação dos habitantes."
(Eles deviam estar com sede, coitados...)

** "A nova terapia traz esperanças a todos os que morrem de câncer a cada ano."
(Viva a ressurreição!)

** "Apesar de a meteorologia estar em greve, o tempo esfriou ontem intensamente."
(Não pagaram os direitos do El Niño. Olha no que deu...)

** "Os sete artistas compõem um trio de talento."
(Alguém tem uma calculadora?)

** "A vítima foi estrangulada a golpes de facão."
(Que horrível...)

** "Os nossos leitores nos desculparão por esse erro indesculpável."
(Em hipótese alguma!)

** "Há muitos redatores que, para quem veio do nada, são muito fiéis as suas origens."
(Concordo plenamente.)

** "No corredor do hospital psiquiátrico, os doentes corriam como loucos."
(Que coisa impressionante!)

** "Ela contraiu a doença na época em que ainda estava viva."
(Que azar, hein?)

** "O aumento do desemprego foi de 0% em novembro."
(Onde vamos parar desse jeito?)

** "As circunstâncias da morte do chefe de iluminação permanecem rigorosamente obscuras."
(Lógico, se não tem mais ninguém para iluminar!)

** "O presidente de honra é um jovem septuagenário de 81 anos."
(Acho que houve um erro de matemática.)

** "Parece que ela foi morta pelo seu assassino."
(Como será que eles conseguiram desvendar o mistério?)

** "Ferido no joelho, ele perdeu a cabeça."
(Bom, todo mundo fala que bebê tem cara de joelho.)

** "A polícia e a justiça são as duas mãos de um mesmo braço."
(É, todo mundo já sabia que eram defeituosas...)

** "O acidente foi no tristemente célebre Retângulo das Bermudas."
(Não era Triângulo das Bermudas?)

** "Este ano, as festas do 4 de setembro coincidem exatamente com a data de 4 de setembro, que é a data exata, pois o 4 de setembro é um domingo."
(Um calendário...rápido!)

** "O tribunal, após breve deliberação, foi condenado a um mês de prisão."
(Sem direito a fiança?)

** "Quatro hectares de trigo foram queimados. A princípio trata-se de um incêndio."
(Achei que fosse um churrasco!)

** "O velho reformado, antes de apertar o pescoço da mulher até a morte, se suicidou."
(A volta dos mortos-vivos.)

** "Um surdo-mudo foi morto por um mal entendido."
(Hum...hum...)

** "À chegada da polícia, o cadáver se encontrava rigorosamente imóvel."
(sem mais comentários)

você acha que a sua vida não tem sentido? vive se perguntando de onde viemos e para onde vamos, e qual o significado da sua existência? eu também. por isso vou assistir o globo repórter essa noite... como vivi todo esse tempo sem conhecer o extraordinário papagaio careca e sem ouvir o estranho som do macaco zog zog?? sei que só está faltando isso para tudo ficar claro para mim...

por que eu sou tão desobediente?? desde o meu tempo de estágio, o meu pai reclamava quando eu colocava os processos na minha cama (eu sempre tive mania de trabalhar na cama) – “você não sabe por onde esses processos passaram, além do mais a sua cama vai encher de ácaros, de poeira, blá, blá, blá...” eu sei que ele tinha razão... até me policio, e deixo os processos na mesa, ao lado da cama... mas de vez em quando...

hoje trouxe para casa um processo em que o cidadão foi indiciado por tráfico... tem um saquinho com maconha dentro, que veio do laboratório da polícia técnica e foi anexado aos autos... coloquei o processo na cama... quando fui tirar, descobri que o saquinho estava aberto... vexatória a situação... eu, ajoelhada na cama juntando a erva com a mão e colocando no saquinho... por via das dúvidas troquei o lençol... sabe-se lá o tipo de sonho que eu ia ter, né?

todo mundo que nasceu e/ou viveu em cidade litorânea tem essa necessidade de sol e água que eu tenho? ficar aqui no final de semana é desesperador só por conta da certeza de que eu não vou poder ir à praia se der vontade... por conta disso, eu tive uma idéia e comentei com a minha irmã por telefone. na minha varanda bate o maior sol pela tarde. aí eu estou pensando em colocar o biquíni e ficar tomando um solzinho... (quem não tem cão...). como todas as casas da vizinhança são térreas e a minha é a única que tem um andar (onde moro), não tem perigo de algum inconveniente ficar bisbilhotando... o bom foi o comentário da minha amada irmãzinha: é... começa assim... daqui a pouco vai comprar uma piscina plástica, uma churrasqueira, colocar um pagode nas alturas e chamar os vizinhos... vai virar um piscinão de ramos.

essa menina sabe tirar o glamour de qualquer situação...

a fátima bernardes esqueceu de tirar o capacete hoje...

eu não sei se eu já falei isso, mas se alguém estiver pensando em vir me visitar no exílio, avisa antes... se não o fizer, corre o risco de passar fome. Inventário da minha geladeira neste momento: algumas uvas, algumas maçãs, meia melancia, um mamão, abacaxi (eu sou frugal, nénão?), duas garrafas de água e um copo de requeijão cremoso... no armário, miojo (claro!), milho de pipoca, sal, biscoito social clube (ou clube soocial? eu adoro), um pacote de torradas bauduco e algumas outras coisinhas sem graça... (amanhã tenho que fazer mercado...)

mas, em compensação... tenho dois pacotes e meio de caixas de fósforo!!! não consigo ir ao mercado e não comprar fósforos. freud explicaria...

para quem só gosta de livros com figura, um aviso: comprei uma máquina fotográfica digital!!
em breve um bazar mais ilustrado para você!

eu admiro o presidente

quinta-feira, janeiro 09, 2003


tô sofrendo de insônia... mas essa semana até que foi legal... vi no jô soares (o meu melhor sonífero) um baiano que faz cinema na cidade do interior onde mora, cujo nome artístico é tonis lima... se glauber rocha fosse vivo, das duas uma: ou iria ao delírio ou teria uma síncope... eu achei muito legal...

cidadão: dra. É o seguinte: eu vivia com a minha mãe, saí de casa, vendi a minha parte na herança do meu pai e comprei uma casa. Aí eu perdi a casa. Fiquei sem ter onde morar... aí a minha irmã pegou 4.000 e comprou uma casa aqui na cidade pra mim. Só que eu quero comprar uma terrinha pra fazer uma roça, mas custa 6000 e minha irmã não quer me dar a diferença.

dra.: E...?

cidadão: e é isso... eu queria que a sra. chamasse ela aqui pra pedir que ela me dê a diferença...

dra. (pensando): eu só chamo ela aqui se for pra mandar que ela pegue os 4000 de volta...

pode, uma coisa dessas??

momento xarope do bazar (desculpem, não resisti, sou uma romântica)

recebi essa poesia hoje... ai, ai... (suspiro...)

“Já és minha. Repousa com teu sonho em meu sonho.
Amor, dor, trabalhos, devem dormir agora.
Gira a noite sobra suas invisíveis rodas
e junto a mim és pura como âmbar dormido.
Nenhuma mais, amor, dormirá com meus sonhos.
Irás, iremos juntos pelas águas do tempo.
Nenhuma mais viajará pela sombra comigo,
só tu, sempre-viva, sempre sol, sempre lua.
Já tuas mãos abriram os punhos delicados
e deixaram cair suaves sinais sem rumo,
teus olhos se fecharam como duas asas cinzas.
Enquanto eu sigo a água que levas e me leva:
a noite, o mundo, o vento enovelam seu destino,
e já não sou sem ti senão apenas teu sonho.”

(Pablo Neruda)

lidiane, obrigada pela surpresa!! :o))
Adorei!!!


terça-feira, janeiro 07, 2003


eu escrevo os posts no word, antes de conectar (é interurbano...). quando eu escrevi “mictório”, do post aí de baixo, a palavra ficou sublinhada de vermelho. a sugestão do computador, que não conhece essa palavra, foi a substituição por “metópio”. eu não faço a menor idéia do que seja “metópio”. o detalhe é que no dicionário do word não tem essa palavra.... ele sugeriu assim, do nada, uma palavra que não consta no seu próprio dicionário... isso é o fim... me poupe, viu??

eu tô sem aurélio aqui... alguém aí pode ver pra mim?? agradecida...


aqui a piada do djalmão, para quem não conhece... eu e esse primo temos uma listinha de personas non gratas a quem desejamos, às vezes, que passem uma agradável tarde com o djalmão...

Num favelao, dia de sol, calor infernal. Três homens entram num barraco pequeno, quente e úmido, arrastando um rapaz magrinho e franzino pelos braços.
Lá dentro, o Djalmao, um negão enorme, muito suado, fedendo, cara de enjoado, palito no canto da boca, limpando as unhas com um facão de cortar coco.
Um dos homens diz: * Djalmao, o Chefe mandou você dar uma enrabadinha nesse cara ai. Disse que e pra ele aprender a não se meter a valente com o pessoal da favela. A vitima grita de desespero e implora por perdão.
Mas Djalmao apenas rosna, ignorando os lamentos do homem: * Pode deixar ele ai no cantinho, que eu cuido dele daqui a pouco.
Quando o pessoal sai, o rapaz disse: * Sr. Djalmao por favor, não faz isso comigo não, me deixa ir embora, eu não digo para ninguém que o senhor me deixou ir embora sem a punição...
Djalmao disse: * Cala boca e fica quieto ai.
Cinco minutos depois, chegam mais dois homens arrastando um outro: " O chefe mandou você cortar as duas mãos e furar os olhos desse elemento ai. E pra ele aprender a não roubar dinheiro das "bocas de fumo" e nem botar olho grande, no que e dos outros.
Djalmao, com voz grave: * Deixa ele ai no cantinho que eu já resolvo.
Pouco depois, chegam os mesmos homens, arrastando outro pobre coitado: * Djalmao, o chefe disse que e pra você cortar o bilau desse cara aqui, pra ele aprender a não se meter com a mulher do chefe. Ah! Ele falou ainda pra você cortar também a língua dele e todos os dedos das mãos, para não haver a menor possibilidade dele bolinar mulher nenhuma a favela, ta?
Djalmao, voz mais grave ainda: * Já resolvo isso. Bota ele ali no cantinho, junto com os outros.
Os homens saem do barraco, e o primeiro rapaz entregue aos cuidados do Djalmao diz, com voz baixa: * Seu Djalma, com todo o respeito... eu sei que o senhor e um homem muito ocupado, e eu estou vendo que tem muito serviço... Eu só queria lembrar, para o senhor não se confundir: eu sou o da enrabadinha, ta?


desventuras de um primo do interior no shopping da capital, narradas, às gargalhadas, pelo telefone:

Ele - cheguei no shopping barra e fui ao banheiro. reformaram os banheiros, você viu?
Eu – o feminino eu vi... o masculino ainda não..
Ele – pois é... fui ao banheiro e me dirigi ao mictório (é assim que escreve?)... achei meio baixo, mas pensei que na reforma tinham lembrado dos baixinhos e me posicionei. aí, quando ia começar o que tinha ido fazer, notei que era muito estranho ter um espelho na frente do mictório...
Eu – espelho?? na parede toda?? você estava todo refletido??
Ele – é!! foi aí que eu percebi que tinha alguma coisa errada. Olhei para o lado e tinha daqueles recipientes de colocar sabão... maria, eu entrei no banheiro infantil e aquela era a pia!!!
Eu – gargalhadas
Ele – guardei tudo e olhei em volta para ver se alguém tinha presenciado... graças a deus não...
Eu – ainda em meio às minhas gargalhadas – já pensou se entra alguma mãe com o filho pequeno? essa hora você tava na delegacia... a depender da delegacia, se você fosse preso sob acusação de pedofilia, já estaria casado com algum djalmão!!! (gargalhadas)

inaugurei a minha bicicleta ergométrica!!!! neste exato momento tem uma bolsa e um blazer pendurados nela...

ah! ontem eu pedalei um pouquinho também...

vem cá... bento gonçalves era bonito como o ator que vai representá-lo?? que homão...


um homem que eu iria atender hoje pela manhã morreu ontem à noite, num acidente de carro...
comentário do vigia do fórum: é dra., prá morrer basta estar vivo...

Quase Nada
Zeca Baleiro e Alice Ruiz

De você sei quase nada
pra onde vai ou porque veio
nem mesmo sei
qual é a parte da tua estrada no meu caminho
será um atalho
ou um desvio, um rio raso
um passo em falso, um prato fundo
pra toda fome que há no mundo
noite alta que revele o passeio pela pele
dia claro madrugada de nós dois não sei mais nada
se tudo passa como se explica
o amor que fica nessa parada
amor que chega sem dar aviso
não é preciso saber mais nada


segunda-feira, janeiro 06, 2003


obs. este não é um bazar sério... logo, a dona do estabelecimento também não...




esse blog será atualizado em qualquer horário, a depender da vontade da administradora. que se dane a telemar! que se dane a conta telefônica! que se dane o interurbano! abaixo os capitalismo!! morram porcos capitalistas!! Che vive!!!... ops, acho que empolguei...rs...

PS. amanhã informo a conta corrente e o nome do banco onde poderão ser depositadas doações... :o)))


recebi um folder que faz a propaganda de um livro chamado "A Culinária do Tempo de Jesus"... eu adoro cozinhar, acho que vou comprar... o Bazar, então, oferecerá um almoço (de grátis!!!) para os fregueses... depois passo o menu, ok? a princípio, posso informar que o couvert terá pães asmos... e pode ser que tenhamos mousse de tâmaras e damascos na sobremesa... :o))


hoje fui dar ciente em uma sentença em que o juiz falou que o meu parecer foi "inteligente e perspicaz"... me senti o chapolin colorado... quase que, ao invés de "ciente da sentença", escrevo "vocês não contavam com a minha astúcia!" hehehe...

domingo, janeiro 05, 2003


este blog será atualizado após às 21:00, durante os dias úteis, porque o interurbano é mais barato.

vou comprar um carro esse semestre. financiado. a gasolina em salvador está custando R$ 2,36... fazendo os cálculos, eu vou poder pagar as parcelas do financiamento mais o valor mensal do que vou gastar em combustível. é só fazer jejum nos dias pares. e cozinhar à lenha e ler à luz de velas nos dias ímpares.

imaginem aí: eu, subindo a ladeira com uma sacola pesando por volta de 30 kg em um ombro, um notebook no outro ombro e uma frasqueira na mão... eu não mereço.. aliás, mereço sim!! eu sou tão desorientada, que precisei tomar duas quedas descendo essa ladeira dos infernos e assim perder duas calças (porque eu caio com classe, de joelhos) para deixar de usar salto alto aqui. é horrível... me sinto uma anã sem salto alto.

é, caros fregueses... estou de volta ao exílio...

-certa pessoa, que vamos chamar de X, não tem carro
-X volta para casa de ônibus
-X sabe que o ônibus para a uns 500m da sua casa
-X mora no alto de uma ladeira.

agora eu pergunto: o que leva essa criatura a viajar com uma mala que pesa mais da metade do seu peso, um laptop e uma frasqueira, sabendo que, ao chegar naquele fim de mundo, em pleno domingo à tarde, não vai ter ninguém na rua pra ajudar?? x é uma verdadeira anta.

P.S. a mala não tem rodinha...