sábado, novembro 09, 2002



esse foi o último da semana, porque depois dessa poesia (alguém sabe onde encontro essa música gravada?) não se pode escrever muito... quinta-feira eu volto... fiquem bem e tenham juízo (não muito, porque tudo demais é sobra, já dizia a minha avó).

em uma palavra (e é pouco, muito pouco, mas todas seriam pouco): linda.

divido com vocês:

Supõe
Silvio Rodrigues - versão de Chico Buarque

Supõe que já cruzamos pela vida
Mas nos deixamos sempre para trás
Porque eu andava sempre na avenida
E tu corrias pelas transversais
Supõe que num comício colorido
A praça, enfim, vai nos conciliar
Supõe que somos do mesmo partido
Supõe a praça a se inflamar
Bandeiras soltas pelo ar
E tu começas a cantar
Supõe que eu vibro, comovida
E supõe que eu sou tua canção

Supõe que te apresentas como amigo
E me perguntas nome e profissão
Comentas que faz sol, ou tem chovido
Ou outro comentário sem razão
Supõe que eu te observo, compreensiva
Porém não tenho nada a acrescentar
Supõe que falas coisas dessa vida
Como querendo aparentar
Que tu tens muito o que contar
Que és um tipo original
Supõe que rio, divertida
E supõe que eu sou tua canção

Supõe que nós marcamos um cinema
Mas chegas lá pro meio da sessão
Pois teu trajeto tem algum problema
Que só te leva numa direção
Supõe que agora a tela me ilumina
Tu ficas assistindo ao meu perfil
Supõe a minha mão tão recolhida
Que não percebe a tua mão
Que não percebe a minha mão
Que não é sim, que não é não
Supõe que eu sigo distraída
E supõe que eu sou tua canção

Supõe que a boa sorte é nossa amiga
E que das 3 às 5 pode ser
Meu pai acaba de dobrar a esquina
E tu vens me encontrar, enfim mulher
Supõe que sem pensar nos abraçamos
Supõe que tudo está como previmos
É a primeira vez que nos amamos
Supõe que falas sem parar
Supõe que o tempo vem e vai
Supõe que és sempre original
Supõe que nós não nos despimos
E supõe que eu sou tua canção


agora eu fui mesmo.

volto mais tarde.

fiquem à vontade, façam a festa, quebrem tudo, soltem os bichos, sejam felizes. depois eu mando a conta.


p.s. 3 - estava procurando fotos de salvador, da praia do forte, para colocar aqui. aí, logo nos primeiros sites da lista, tinha esse:

fotos-salvador

vai ser nesse, eu pensei.... mas não era bem isso que eu estava pensando...
p.s. esqueci uma coisa... ele escreveu que precisa ver o mar... tenho tanto dele por aqui que não custava dividir um pouquinho... tentei colocar uma foto aqui, mas não consegui... descrever a água transparente, a areia branca e o céu azul de doer não adianta muito... de qualquer maneira, fica a dica... quando tiverem a chance de conhecer a praia do forte, no litoral norte de salvador, não percam a oportunidade.

p.s. 2 - quem???, acho que ainda preciso de umas aulinhas... :o))


bem deixa eu ir dormir porque ontem foi corrido e o dia foi longo. na verdade terminou hoje de madrugada... hoje cedo já estava de pé. agora, subvertendo os horários estabelecidos, vou dar uma dormidinha... amanhã volto para o meu exílio, então, se não aparecer mais até amanhã às 14:20, só na quinta-feira (SEXTA É FERIADO!!!!!!!! - feriados e o Bahia... únicos que merecem letras maiúsculas...).
você já parou para conversar com crianças de idade entre 3 e 7 anos? eu recomendo. mas tem que ser uma conversa séria, quero dizer, tem que tratar a criança como gente e não como um bibelô ou um bichinho de pelúcia, falando naquela linguagem ridícula que os adultos pensam que a criança gosta. eu adoro conversar com criança. não sei porque elas crescem. estraga tudo.
vocês sabiam que um ilustre processualista brasileiro teve a coragem de escrever que não enxerga relação de consumo entre banco e correntista, porque o serviço prestado pelo banco não cobra uma contraprestação (!!!) e por causa disso não se aplicam, no caso de contrato de serviços bancários, as regras que protegem o consumidor dispostas no código de defesa do consumidor... das três uma: ou ele é dono de banco, ou o dono do banco é amigo dele e não cobra tarifa para tirar extrato extra, não cobra o cheque, não cobra aquilo tudo que vem debitado no extrato e que eu nunca descobri o que é, ou, o mais provável, o dinheiro dele nasce em árvore... uma pessoa dessas não etá sujeita a levar uma surra se disser isso em público? eu tomaria cuidado... no mais, não sei se esse ilustríssimo estudioso do direito vai ler esse blog um dia (nada é impossível nesse mundo de navegações internéticas), mas fica aqui a pergunta: a digníssima senhora sua mãe vai bem, né?
ainda sobre a visita do louco. fui no seu blog e lá ele se pergunta porque nos blogs sempre se trancreve poesias e nunca trechos de prosa. é verdade. apesar de já ter colocado aqui trechos de cortazar e gabriel garcia marquez, o número de poesias que já coloquei é muito maior. recomendo uma visita ao leite de pato... regularmente o adailton joga alguns trechos de livros. o mais importante, livros bons.

Agora, em homenagem ao meu visitante:

"Era a vez da terapêutica. Simão Bacamarte, ativo e sagaz em descobrir
enfermos, excedeu-se ainda na diligência e penetração com que principiou a tratá-los.
Neste ponto todos os cronistas estão de pleno acordo: o ilustre alienista faz curas
pasmosas, que excitaram a mais viva admiração em Itaguaí.
Com efeito, era difícil imaginar mais racional sistema terapêutico. Estando os
loucos divididos por classes, segundo a perfeição moral que em cada um deles
excedia às outras, Simão Bacamarte cuidou em atacar de frente a qualidade
predominante. Suponhamos um modesto. Ele aplicava a medicação que pudesse
incutir-lhe o sentimento oposto; e não ia logo às doses máximas,—graduava-as,
conforme o estado, a idade, o temperamento, a posição social do enfermo. Às vezes
bastava uma casaca, uma fita, uma cabeleira, uma bengala, para restituir a razão ao
alienado; em outros casos a moléstia era mais rebelde; recorria então aos anéis de
brilhantes, às distinções honoríficas, etc. Houve um doente poeta que resistiu a tudo.
Simão Bacamarte começava a desesperar da cura, quando teve a idéia de mandar
correr matraca para o fim de o apregoar como um rival de Garção e de Píndaro."

(o alienista - machado de assis)


o louco esteve aqui... espero que tenha se sentido bem e que volte sempre... gosto de manter contato com a "anormalidade". entre aspas porque ainda não consegui fazer a diferenciação de onde termina a normalidade e começa a loucura. seria a loucura o outro lado da moeda? gosto de pensar nela (loucura)... mas, até hoje, só tenho certeza de uma coisa. os "loucos" sabem de muitos segredos que a nós, pobres "normais", não nos é dado conhecer...

sexta-feira, novembro 08, 2002


da próxima vez a receita vai ser a do meu delicioso, saboroso e suculento pão de mel. quem sabe aí eu não tenho direito a um teste de qualidade, né?

inté.
ah! para os que viraram o rosto para a minha torta, que se esquecem de que tudo que é bom é ilegal, imoral ou engorda, aqui vai um recadinho do vinícius:

Não comerei da alface a verde pétala
Nem da cenoura as hóstias desbotadas
Deixarei as pastagens às manadas
E a quem mais aprouver fazer dieta.

Cajus hei de chupar, mangas-espadas
Talvez pouco elegantes para um poeta
mas peras e maçãs, deixo-as ao esteta
Que acredita no cromo das saladas.

Não nasci ruminante como os bois
Nem como os coelhos, roedor; nasci
Onívoro: dêem-me feijão com arroz

E um bife, e um queijo forte, e parati
E eu morrerei feliz, do coração
De ter vivido sem comer em vão.
(Vinícius de Moraes)

bom dia!!! são sete da manhã, o tempo está nublado, cai uma chuvinha fna lá fora, tudo pede cama... mas, tudo bem... o meu humor está bom... tô saindo agora e o dia vai ser cheio (a noite vai redimir toda a chateação)... como acho que não vou ter tempo de postar nada hoje, e como esse é um blog iniciante que não pode se dar ao luxo de ficar desatualizado por dias a fio, vamos encher linguiça e publicar aqui a receita da minha famosa torta dos deuses. é boa. aliás, muito boa. aliás, indescritível. eu faria hoje mesmo se fosse você (se vc não sabe nem ferver água, pede a alguém que saiba o que é uma escumadeira. se souber, já tem alguma noção de cozinha, pode tentar... ). parece que é difícil, mas não é não... é uma das minhas especialidades. eu nunca falei?? dou as minhas incursões pela culinária...

lá vai:

Ingredientes
3 ovos
100gr de manteiga
1 xícara de açúcar
1 xícara de farinha de trigo
Meia xícara de farinha de rosca
100gr de nozes trituradas
1 colher (café) de fermento
200ml de suco de laranja

Para o recheio:
1 lata de leite condensado
1 lata de leite
1 colher (sopa) de maizena
200gr de morangos
200gr de chocolate meio amargo
Meia lata de creme de leite

Modo de preparar- (Fazer um mingau com o leite condensado, o de vaca e a maizena, deixando esfriar.
Bater a manteiga com o açúcar, acrescentando as gemas, batendo sempre. Colocar o suco de laranja e a farinha de trigo, alternadamente. Em seguida, colocar a farinha de rosca com as nozes e as claras em neve com o fermento. Levar ao forno para assar e deixar esfriar.
Partir em duas camadas. Umedecer com a calda de sua preferência, pondo uma parte do creme e os morangos em fatias. Faça a outra camada com o restante do bolo, creme e morangos. Finalize derretendo o chocolate com o creme de leite, cobrindo toda a torta e decorando com bico Pitanga nº 18 e morangos inteiros.

obs. da última vez que eu fiz, me rendeu surpresas agradabilíssimas...

quinta-feira, novembro 07, 2002

bem, deixemos de coisa e cuidemos da vida, nénão? vou procurar algo de bom e aproveitável para fazer... como diria o filósofo, bom mesmo é comer, beber, dormir e não pagar... quem sabe eu não descolo um programa assim? acho que só procurar já vai ser divertido...

fiquem bem.
nesta semana, como vocês sabem (aliás, vocês existem, ou eu estou falando sozinha?), eu estou poética. aqui vai mais uma do meu rol de preferidas:

Ismália

Quando Ismália enlouqueceu,
Pôs-se na torre a sonhar...
Viu uma lua no céu,
Viu outra lua no mar.
No sonho em que se perdeu,
Banhou-se toda em luar...
Queria subir ao céu,
Queria descer ao mar...
E, no desvairo seu,
Na torre pôs-se a cantar...
Estava perto do céu,
Estava longe do mar...
E como um anjo pendeu
As asas para voar...
Queria a lua do céu,
Queria a lua do mar...
As asas que Deus lhe deu
Ruflaram de par em par...
Sua alma subiu ao céu,
Seu corpo desceu ao mar...

(Alphonsus de Guimaraens)


"Na noite de quarta-feira, como em todas as quartas-feiras, os pais foram ao cinema. Os meninos, donos e senhores da casa, fecharam portas e janelas e quebraram a lâmpada acesa de um lustre da sala. Um jorro de luz dourada e fresca feito água começou a sair da lâmpada quebrada e deixaram correr até que o nível chegou a quatro palmos. Então desligaram a corrente, tiraram o barco, e navegaram com prazer entre as ilhas da casa.
Esta aventura fabulosa foi resultado de uma leviandade minha quando participava de um seminário sobre a poesia dos utensílios domésticos. Totó me perguntou como era que a luz acendia só com a gente apertando um botão, e não tive coragem para pensar no assunto duas vezes.
-A luz é como a água – respondi – a gente abre a torneira e sai."

(gabriel garcia marquez - a luz é como a água - do livro 12 contos peregrinos)




por falar em caetano veloso, ele e carlinhos brown são duas pessoas que, se eu comprasse pelo que valem e vendesse pelo que eles pensam que valem, ficaria milionária...

ps. esse comentário não leva em consideração o talento musical dos dois e sim a simpatia (ou não...) que esta que vos redige sente pelos referidos senhores. é bom separar as coisas.

hoje tem uma música do dia no leite de pato (link ali em cima).

vou imitar um pouquinho. acordei com essa música na cabeça, e ela foi perfeita para a trilha sonora do meu dia.

Onde queres revólver sou coqueiro, onde queres dinheiro sou paixão
Onde queres descanso sou desejo, e onde sou só desejo queres não
E onde não queres nada, nada falta, e onde voas bem alta eu sou o chão
E onde pisas no chão minha alma salta, e ganha liberdade na amplidão

Onde queres família sou maluco, e onde queres romântico, burguês
Onde queres Leblon sou Pernambuco, e onde queres eunuco, garanhão
E onde queres o sim e o não, talvez, onde vês eu não vislumbro razão
Onde queres o lobo eu sou o irmão, e onde queres cowboy eu sou chinês

Ah, bruta flor do querer, ah, bruta flor, bruta flor

Onde queres o ato eu sou o espírito, e onde queres ternura eu sou tesão
Onde queres o livre decassílabo, e onde buscas o anjo eu sou mulher
Onde queres prazer sou o que dói, e onde queres tortura, mansidão
Onde queres o lar, revolução, e onde queres bandido eu sou o herói

Eu queria querer-te e amar o amor, construírmos dulcíssima prisão
E encontrar a mais justa adequação, tudo métrica e rima e nunca dor
Mas a vida é real e de viés, e vê só que cilada o amor me armou
E te quero e não queres como sou, não te quero e não queres como és

Ah, bruta flor do querer, ah, bruta flor, bruta flor

Onde queres comício, flipper vídeo, e onde queres romance, rock'n roll
Onde queres a lua eu sou o sol, onde a pura natura, o inceticídeo
E onde queres mistério eu sou a luz, onde queres um canto, o mundo inteiro
Onde queres quaresma, fevereiro, e onde queres coqueiro eu sou obus

O quereres e o estares sempre a fim do que em mim é de mim tão desigual
Faz-me querer-te bem, querer-te mal, bem a ti, mal ao quereres assim
Infinitivamente pessoal, e eu querendo querer-te sem ter fim
E querendo te aprender o total do querer que há e do que não há em mim
(o quereres - Caetano Veloso)

sempre desconfiem de homens que não abrem a porta do carro ou não pagam a conta nos primeiros encontros e falam que não fazem isso porque: "ué, vocês não querem direitos iguais??".

coisas que eu penso que só acontecem em novela até que acontecem comigo:

eu tive um namorado que foi comprar cigarro e nunca mais voltou.

depois desse, passei um tempão com uma plaquinha daquelas com um cigarro cortado por uma tira vermelha, de "não fumantes", pendurada no pescoço... hoje eu já superei... he,he,he...

hoje comecei o dia acordando cedo para mais um agradável dia com a corregedoria. de antemão, sabia que, pela manhã, haveria uma palestra sobre ética.fui com a pior das expectativas. morta de sono. lá, a expectativa piorou. a palestrante era uma senhora alta, magra, com os cabelos lisos, escorridos, batendo na cintura, encaixotada num terninho azul. para mim, a personificação da chateação. estrategicamente, sentei perto da mesa do cafezinho. mas, quando a mulher começou a falar... que show. depois ainda escrevo sobre isso... no final da manhã a equipe da corregedoria voltou a falar e o cafezinho foi providencial. nada é perfeito.

quarta-feira, novembro 06, 2002



para terminar o dia e celebrar a noite que está começando:

"Ora (direis) ouvir estrelas! Certo
Perdeste o senso!" E eu vos direi, no entanto,
Que, para ouvi-las, muita vez desperto
E abro as janelas, pálido de espanto...

E conversamos toda a noite, enquanto
A Via Láctea, como um pálio aberto,
Cintila. E, ao vir do sol, saudoso e em pranto,
Inda as procuro pelo céu deserto.

Direis agora: "Tresloucado amigo!
Que conversas com elas? Que sentido
Tem o que dizem, quando estão contigo?"

E eu vos direi: "Amai para entendê-las!
Pois só quem ama pode ter ouvido
Capaz de ouvir e entender estrelas"

(olavo bilac - via láctea - XIII)





o melhor lugar do mundo para se discutir relação (n.r. eu não gosto de discutir relação, na verdade é perda de tempo, pois, na maioria das vezes, só se fala o óbvio procurando adiar o inevitável) é na fila do supermercado. tinha um casal fazendo isso na última vez que eu fui às compras e eu me diverti muito. da próxima vez que eu tiver que discutir relação (toc, toc, toc) vou sugerir o local. pelo menos alguém vai se divertir.
eu admiro as pessoas realmente geniais!




e já que falamos nele:

"o pior dos problemas da gente é que ninguém tem nada com isso."

"Quem fica viúvo é o defunto...
Por que este não casa mais."

"Há noites que eu não posso dormir de remorso por tudo o que eu deixei de cometer."

"Cada pessoa pensa como pode ..."



passamos o dia em reunião com a corregedoria... amanhã passaremos o dia em reunião com a corregedoria... sexta-feira, provavelmente, não passarei...

"Todos estes que aí estão Atravancando o meu caminho Eles passarão Eu passarinho" (mário quintana)


sempre desconfie de mulheres que enchem a boca para dizer que não precisam dos homens, que homem só serve para abrir pote de azeitona, trocar lâmpada e coisas desse tipo...




pequenas frases, grandes verdades:

Cidades pequenas são cruéis.

eu vivo isso na pele.

hoje, relembrando os tempos de faculdade, eu falava das aulas de psicologia, matéria optativa do curso de direito. lembrei que eu tinha dois temas de dissertação, que iria escrever para apresentar no final do semestre. um era "a influência dos sorvetes, picolés e refrigerantes em lata na libido masculina". isso porque, após pesquisa feita com várias colegas, notamos que o número de cantadas recebidas na rua é infinitamente maior se a gente está degustando um sorvetinho, ou um picolé, ou ainda sorvendo um delicioso guaraná, pelo canudinho...

a outra dissertação seria sobre as portas dos sanitários femininos da faculdade de direito. não tinha título, mas seria algo pouco técnico e mais sensacionalista, como "porta de banheiro: retrato fiel do que o superego esconde". quando eu comecei na faculdade, uma das coisas que me chamaram a atenção eram as barbaridades escritas nas portas dos banheiros femininos. isso porque, quando vc vê aquelas menininhas, todas lindas, carinhas sérias, nos seus terninhos e tailleurs, cabelos lisos, sem nenhum fio fora do lugar, não imagina o que se passa dentro daquelas cabecinhas... daria um tratado psicológico...

terça-feira, novembro 05, 2002

o que a gente não inventa por amor a um time:

"pequeno guia para se divertir na segunda divisão"

eu não quero ter que levar isso a sério...

a gasolina está custando R$ 1,95... e eu querendo comprar o meu carro no mês que vem... tô começando a ver vantagens em viajar de ônibus toda semana...

eu estava pensando... (não doeu nem saiu fumaça)... três características que fazem a diferença num homem (além da imprescindível inteligência, é claro...):

1) ser perfumado (um pescoço cheiroso é de enlouquecer);
2) saber pegar (é, pegar, aquele "vem cá minha nega" firme e seguro);
3) beijar bem (na verdade beijo bom depende dos dois, de combinar direitinho, eu acho...).

pois é... homem, quando tem todas essas qualidades, sempre é bonito... até quando é feio.

hoje eu estou poética... acho que é porque estou em casa e porque estou feliz e porque, como diria tim maia, a noite vai ser boa...

enfim, já coloquei aqui drummond, quintana e vinícius de moraes... agora, se me dão licença, vai uma de ana tereza (que vcs não conhecem, mas deveriam)... essa ela fez para mim... me desculpem drummond, quintana, vinícius, bandeira, cecília meireles e todos os outros que amo, mas essa é a mais especial...


carlamáxima
aos 20 anos

com que honrarias poderia presentear
uma filha tão linda,
de sorriso iluminado e generoso,
e discreto brilho no olhar?

onde posso ainda encontrar alguma beleza
escondida para oferecer
com desvelo e ternura,
a tão esperada carla, uma reverência
da sinceridade divina,
a um inesquecível e belo amor?

tanto foi e será a permissividade de deus
que faz-me oferecer-lhe as mais doces palavras,
e de encontrar na sua presença o não perdido,
o nunca esquecido, e o que não deve jamais ser oculto.

porque a graça que lhe está contida
manifesta-se aos olhos do seu corpo,
e tão justa lhe contém, que se revela
plena nos olhos de sua alma,
que pulsa densa, nobre, máxima,
e tão calma.

ana tereza.
ssa, 04/07/96

"... É um tal milagre encontrar, nesse infinito labirinto de desenganos amorosos, o ser verdadeiramente amado... Esqueço o casalzinho no parque para perder-me por um momento na observação triste, mas fria, deste estranho baile de desencontros, em que frequentemente aquela que devia ser daquele acaba por bailar com outro porque o esperado nunca chega; e este, no entanto, passou por ela sem que ela o soubesse, suas mãos sem querer se tocaram, eles olharam-se e não se reconheceram.

E é então que esqueço de tudo e vou olhar nos olhos de minha Bem Amada como se nunca a tivesse visto antes. É ela, Deus do céu, é ela! Como a encontrei, não sei. Como chegou até aqui, não vi. Mas é ela, eu sei que é ela porque há um rastro de luz quando ela passa; e quando ela me abre os braços eu me crucifico neles banhado em lágrimas de ternura; e sei que mataria friamente quem quer que lhe causasse dano; e gostaria que morrêssemos juntos e sôssemos enterrados de mãos dadas, e nossos olhos indecomponíveis ficassem sempre abertos mirando muito além das estrelas."

Vinícius de Moraes - O amor por entre o verde (trecho)


poema da gare de astapovo

o velho leon tolstoi fugiu de casa aos oitenta anos
e foi morrer na gare de astapovo!
com certeza sentou-se a um velho banco,
um desses velhos bancos lustrosos pelo uso
que existem em todas as estaçõezinhas pobres do mundo
contra uma parede nua...
sentou-se ...e sorriu amargamente
pensando que
em toda a sua vida
apenas restava de seu a gloria,
esse irrisório chocalho cheio de guizos e fitinhas
coloridas
nas mãos esclerosadas de um caduco!
e entao a morte,
ao vê-lo tao sozinho aquela hora
na estação deserta,
julgou que ele estivesse ali a sua espera,
quando apenas sentara para descansar um pouco!
a morte chegou na sua antiga locomotiva
(ela sempre chega pontualmente na hora incerta...)
mas talvez não pensou em nada disso, o grande velho,

e quem sabe se ate não morreu feliz: ele fugiu...
ele fugiu de casa...
ele fugiu de casa aos oitenta anos de idade...
não são todos que realizam os velhos sonhos da infância!

mário quintana

o seu santo nome

Não facilite com a palavra amor.
Não a jogue no espaço, bolha de sabão.
Não se inebrie com o seu engalanado som.
Não a empregue sem razão acima de toda razão (e é raro).
Não brinque, não experimente, não cometa a loucura sem remissão
de espalhar aos quatro ventos do mundo essa palavra
que é toda sigilo e nudez, perfeição e exílio na Terra.
Não a pronuncie.

(carlos drummond de andrade)

o meu sonho de consumo...



alguém aí quer me agradar?
tá vendo, quem??? tô aprendendo... valeu, viu?
você é um boi? se é, já foi no eu hein hoje? olha só o que tem por lá:

a helena passou por aqui... ela também tem medo do carlos nascimento... e gosta do cd "à flor da pele", que eu citei ali embaixo... moça de bom gosto... :o)
estou em casa!!!!

domingo, novembro 03, 2002

por hoje é só, pessoal! diriam o pernalonga, patolino e cia ltda... até terça, quando estarei de volta à civilização, desfrutando do conforto da conexão à cabo. sinto muito, telemar, acabou a festa.
qual a proposta do pedro bial em fazer a chamada do fantástico segurando o blazer? que ridículo...
boas surpresas que uma noite de insônia pode trazer: ver egberto gismonti tocando no altas horas... o homem é genial... tocou baden powell num violão de dez cordas... a música chamava salvador, o que me fez gostar antes mesmo de ouvir... música bem feita e bem executada é o que mais aproxima o homem da perfeição, nénão? por falar em violão, procurem ouvir laurindo almeida (violonista).... aqui no brasil é pouco conhecido, mas dá para achar cd na net... o homem era indefinível.... na falta, matar as saudades de rafael rabelo é uma boa para o domingo... prá quem não gosta de instrumental puro, ouça à flor da pele, dele com o ney matogrosso. é daqueles que fazem a gente arrepiar cada vez que começa uma música.
você sabia que 75% da energia na china é produzida pelo carvão? e que estão construindo a maior hidrelétrica do mundo? e que o reservatório vai ter mais de 600 km de extensão??? e que 13 cidades vão sumir, dentre as quais algumas de mais de 2000 anos além de uma das mais antigas cidades chinesas preservadas e sítios arqueológicos riquíssimos?? isso me fez lembrar de quando os talibãs destruíram as estátuas de buda... tudo bem, os motivos são outros, mas... enfim... intolerância religiosa e progresso que não se preocupa com impactos ambientais (segundo o documentário são muitos) e culturais podem fazer parte do mesmo saco de motivos irracionais... eu acho...

pois é... lembra do documentário cheio de pedras que passava na band ontem à noite? foi o que me restou e era sobre isso... tá vendo? se eu não estivesse exilada, presa em casa numa cidadezinha do interior, sozinha, numa noite de sábado, nunca teria prendido isso e aumentado os nossos conhecimentos. de nada.

ps. a narradora do documentário é a mesma que dublava a mulher maravilha, no desenho dos super amigos (aquele bem antigão, que tinha o bizarro, lembra?) - reminiscências da infância...